sábado, 8 de julho de 2017

Cansaço

Pode ser defeito meu, mas fica aqui a minha palavra de honra de que, quando chego a um canal televisivo e vejo deputados de dois ou mais partidos a discutir, qualquer que seja o tema, mudo de imediato de programa. Faço isso há muitos anos e não julgo ficar menos bem informado por virtude dessa atitude. É que a um comentador eu posso exigir independência, num deputado isso seria até estranho. Pelo que é para mim mais do que óbvio que essas figuras - salvo alguns, muito raros, mais heterodoxos - vão ali debitar apenas a receita partidária, com maior ou menor desenvoltura retórica. E eu, para tempos de antena, já dei!

4 comentários:

Anónimo disse...

A televisão é o pior divulgador da cultura de massa que eu conheço.
Há mais de 10 anos que já nem aparelho tenho, e não me tem feito falta nenhuma.
Os nossos ascendentes não tiveram televisão e por isso tiveram culturas diversificadas.
Agora com a televisão sabem todos o mesmo sem terem oportunidade de gerir esses conhecimentos.
Enfim cada um tem de procurar os seus interesses culturais.
Ficar à frente de um televisor, não só em Portugal, é o principo de nos tornarmos emburrados.
E não me digam que a população ten de ser informada daquela forma. Só falta como notícia um dia dizerem: Em Alguidares de Baixo um bebé de dois mese, matou a avó à dentada, e com isso ocuparem a antena por vários minutos com muitos testemunhos dos habitantes locais.

JM disse...

Já somos dois!

Jorge Neves disse...

O problema não é exclusivo dos deputados. Os comentadores de futebol sofrem do mesmo mal, e os analistas políticos idem. A independência e verticalidade, são coisas raras em Portugal

Anónimo disse...

Inteiramente de acordo, pois faço o mesmo.